As 5 perguntas que vão te ajudar a saber se você está com a pessoa certa

1. Sua vida melhorou significativamente ou piorou?

Você se lembra da sua vida ANTES de começar o relacionamento com o(a) seu(sua) parceiro(a) atual? Às vezes, a vida em casal muda todos os nossos hábitos, mas nem sempre para melhor. Você precisa fazer o balanço de tudo o que mudou desde que o relacionamento começou. Tente lembrar da rotina que você tinha, as amizades e os momentos de lazer. Se algo disso lhe falta, é provável que você esteja vivendo um relacionamento negativo. Cada um deve ter a sua vida em particular, sua liberdade e seus momentos de lazer além de viver tudo isso com a pessoa amada. Assim, você encontra um relacionamento que SOMA na vida que você já tinha e não retira tudo que conquistou.

2. O que te faz lembrar quando você pensa na pessoa amada?

Cada vez que nos perguntamos se uma pessoa é importante ou não para nós, costumamos seguir uma pista. Se, ao pensar na pessoa amada esboçamos um sorriso, lembramos mais de coisas boas do que ruins, sentimos que aprendemos mais, que amadurecemos mais e esta pessoa somou em nossa vida, sem dúvida estamos com alguém que não devemos perder. Mas, se você tem mais pensamentos e fatos negativos para lembrar, esse é um bom sinal de que devemos refletir mais objetivamente sobre o nosso par e, finalmente, partir para uma nova experiência.

É verdade que no início de um relacionamento costumamos mostrar nosso melhor lado e que, com o passar do tempo, os defeitos inerentes à nossa personalidade aparecem. Se, após descobrir ambos os lados do nosso par, a tolerância ainda existir, se houver mais pontos positivos do que negativos, permanecer no relacionamento é uma sábia decisão. Devemos ficar com alguém cujas qualidades nos agradam e cujos defeitos não nos afetam. Depois de tantos anos de relacionamento, considere este um incentivo para permanecer na relação: a discussão, por mais feia que seja, não acrescentará dores, sofrimento, angústia e decepção porque o motivo não foi falta de respeito e, sim, porque ele ou ela esqueceu de comprar o desodorante que faltava.

3. Vocês têm interesses em comum?

O ideal é que pessoa com quem você compartilha a vida tenha interesses em comum com você porque conversar durante horas será uma tarefa simples. O tempo vai basicamente passar voando e você nunca vai olhar para o relógio depois de começar uma conversa. Não vai importar nem o tema e nem a repercussão, você vai simplesmente curtir a conversa com seu par sobre qualquer coisa, prestando total atenção no que a outra pessoa diz, como se ela fosse o maior especialista no tema. Mas caso os interesses sejam diferentes, não se preocupe! Você vai poder aprender mais sobre determinado assunto e ser mais tolerante com o ponto de vista alheio. Respeitar as diferenças, seja em um relacionamento amoroso, seja com amizades é essencial. Mas, se vocês brigam mais do que conversam por conta dessas diferenças, é mlehor conversar sobre o término da relação.

Se, ao contrário, você fica entediado quando conversa com essa pessoa, se você sente a necessidade de acabar com a conversa porque a opinião do outro incomoda, algo está errado. Se você costuma se sentir incomodado porque o outro não tem sensibilidade ou se você não se interessa pelo que ele fala, pode ser que a comunicação não seja tão perfeita como você pensava. No fundo, vocês são diferentes e pode ser que não tenham nascido um para o outro.

4. É a melhor companhia da sua vida?

No fundo, quando escolhemos um(a) companheiro(a), estamos escolhendo alguém que possa ser, ao mesmo tempo, nosso amante e melhor amigo(a). Se, quando precisamos de ajuda, sempre recorremos a uma terceira pessoa, isso pode significar que não damos muito valor para a opinião do nosso par. Temos que nos perguntar se realmente temos interesse em compartilhar nossa vida com alguém que não consideramos um apoio para quase todas as situações. É claro que sempre vai acontecer de precisarmos pedir ajuda a outras pessoas porque todo mundo precisa de todo mundo nessa vida, mas se essa é uma prática constante porque você simplesmente não consegue apoio do seu parceiro para nada, alguma coisa tem que mudar ou a relação deve acabar.

Lembre-se sempre que um par ideal deve ser a solução dos seus problemas da mesma forma que você será a solução dos problemas dele porque um está ali para ajudar o outro ao invés de sair correndo sempre que alguma coisa dá errado. Temos que aprender a trilhar o caminho juntos e essa pessoa que você escolheu deve estar ao seu lado. Caso não, melhor sozinho do que mal acompanhado, concorda? É assim que você vai saber se realmente considera essa pessoa seu melhor amigo, seu confidente e seu amante ao mesmo tempo ou se essa pessoa tem apenas uma dessas três funções para você.

5. Você está em dúvida entre duas pessoas?

Quando nos perguntamos se uma pessoa é a certa para nós, temos que verificar se isso envolve reciprocidade. Para se ter um relacionamento bem sucedido ambos devem somar na vida do outro. É como a história do relacionamento balão ou âncora. Se você está em um relacionamento e tem dúvidas se permanece no estado atual ou se começa algo com alguém que já está chamando a sua atenção, não tenha dúvidas: fique com a segunda pessoa. Se o relacionamento estivesse bom mesmo, você nem cogitaria a opção de pensar numa segunda pessoa porque simplesmente não há espaço para tal.