Sua namorada o impediu de entrar em seu quarto por 3 anos. Quando ele entrou, o relacionamento terminou

No México há uma média de 600.000 casamentos por ano, sendo que 1 em cada 6 casais se separam muito rapidamente após o casamento. Isto representa uma taxa bem alta que tem crescido, não só no México, mas no mundo todo. A diferença de valores e comportamentos, bem como a facilidade em se começar de novo uma “vida feliz” faz muitos dessas casais nem pensarem duas vezes para decidirem se separar. Mas, mesmo antes do casamento, podemos encontrar casais que decidem se separar pelas razões mais loucas.

1. As relações de casal

Exatamente pelo fato de que a convivência de um casal se define pela coexistência entre costumes e personalidades diferentes, cada casal é diferente e isso é muito natural. É por isso que casar-se com alguém é uma decisão séria pois é necessário ter o mínimo de certeza de que todos os defeitos e qualidades de cada pessoa irão fazer uma boa mistura e resultar em uma convivência positiva e pacífica. É claro que é necessáriao uma certa adaptação e uma série de concessões para se viver bem em casal. Porém, fica tudo muito mais difícil quando o tempo todo você precisa ficar negociando cada pequeno detalhe do dia a dia.

2. Os hábitos

Todos adquirimos e desenvolvemos nossos hábitos desde cedo, começando em casa. E podem surgir problemas quando, por qualquer razão, precisemos mudar hábitos que são íntima e diretamente ligados à nossa personalidade. Especialmente quando é algo muito consolidado, algo que trazemos desde a nossa infância. Isso foi o que aconteceu com esse casal, cuja história acabou ficando conhecida e pode nos trazer algumas razões para pensar. E olha que eles namoraram por 3 anos!

Confiança e respeito

Embora a confiança e o respeito sejam a base de qualquer relacionamento saudável, a moça em questão no nosso artigo impôs como regra que seu namorado não podia entrar em seu quarto. Ela ainda vivia com seus pais, ou seja, não tinha uma casa só dela onde o namorado podia ficar e dormir, portanto isso não representou exatamente um problema para ele. Porém, desde o início, algo parecia estranho para ele… ”O que será que ela guardava com tanto mistério no quarto dela?”. Mesmo que ele ficasse pensando que essa poderia ser uma atitude e uma regra inusitada para os tempos modernos, ele associou o comportamento a alguma necessidade de privacidade, de manter sua individualidade e não tentou pressioná-la.

Pactos entre casais

Como dissemos, ele respeitou a regra durante o tempo todo em que durou o relacionamento e ela manteve o segredo dela. O fato daquela não ser a casa só da namorada pode também ter facilitado o controle que ele teve que ter em não “bisbilhotar” o local “proibido”, mas o fato é que ele nunca rompeu o acordo. Porém, mesmo não querendo quebrar sua palavra ou a desrespeitar sua namorada, um dia a mãe dela o chamou e sugeriu que ele entrasse no quarto da filha. Ele sentiu um misto de curiosidade e medo porque não entrar no quarto dela era algo que sua namorada havia deixado muito claro e isto era muito importante para ela.

O momento-chave

O que aconteceu nesse dia foi que sua namorada estava tomando um banho e ele a estava aguardando. A mãe da namorada que estava atarefada com a casa e naquele momento estava carregando uma pilha grande de roupas limpas, quando viu o menino aguardando, pediu-lhe o favor dele levar as roupas de sua filha para o quarto dela. Ele ficou um pouco sem graça em dizer não à sogra e imediatamente mil coisas passaram por sua cabeça: ele acabava de receber permissão para entrar no quarto da namorada e descobrir o que ela tão secretamente escondia. Mil hipóteses dispararam em sua cabeça quando ele se aproximava da quarto que durante tanto tempo tinha-lhe sido proibido.

O segredo mais bem guardado

Quando a porta finalmente se abriu, ele teve a mais desagradável surpresa que poderia ter tido. Sua namorada não queria que ele entrasse no quarto dela de modo algum porque, na verdade, o local era uma bagunça total, algo que ele nunca tinha visto. Milhares de coisas e até lixos jogados em todos os lugares e uma confusão capaz de perturbar qualquer um. Travesseiros misturados com roupa suja (aliás roupas tinham em todos os lugares que se pudesse imaginar), tudo misturado e bagunçado.

Uma bela briga

Assim que a namorada descobriu que o rapaz havia entrado em seu quarto, apesar de sua proibição expressa, ela iniciou uma enorme briga. Ela o atacou porque, mesmo que a mãe tivesse especificamente lhe pedido para que ele fosse ao quarto, ele não deveria tê-la desrespeitado daquela maneira. Muito provavelmente houve um misto de revolta e vergonha da parte dela, que talvez não quisesse que o rapaz visse que ela era ou estava desorganizada naquele momento ou que seu quarto estava sujo daquela forma, mas o fato é que ela terminou relacionamento naquele mesmo dia.

Uma “pequena” vingança

Sentindo-se impotente e revoltado por ter perdido um relacionamento sem achar que havia feito nada de errado para merecê-lo, o rapaz publicou uma foto na internet que mostrava ao mundo o quarto de sua agora ex-namorada. Ou seja, não só ele entrou no quarto dela, como fotografou… e compartilhou! Em outras palavras, se ele ainda achava que não tinha feito nada errado, agora esperamos que ele tenha tido a certeza porque ao fotografar e publicar algo íntimo de alguém é um crime de violação de privacidade. Obviamente, todo mundo sabe o que aconteceu, não é? A situação viralizou e começou aquela chuva de comentários horríveis, sendo a maior parte em favor dele e denegrindo a imagem da garota…

A resposta das redes sociais

Assim que ele publicou a foto, muitas pessoas começaram a elogiar a mãe da menina, dizendo que ela teria o livrado do convívio com aquela menina bagunceira, que seria um tormento viver com uma pessoa tão desagradável. Enquanto outros, em menor número, apoiaram a menina dizendo que ela sim é quem tinha se livrado de conviver com uma pessoa em quem não podia confiar e que, além de tudo, era no mínimo inseguro e cruel por tê-la exposto daquela forma nas redes sociais. Nós aqui estamos achando que esse segundo grupo de opiniões está mais perto da verdade porque, não importa a razão, expor alguém na internet por causa de hábitos que não precisam de explicação para serem aceitos pela sociedade não é JAMAIS solução para nada. Cada um faz o que quer com seu quarto e sua vida, não é mesmo? E você, o que acha?