Absurdo: vídeo mostra médico agredindo mulher grávida durante trabalho de parto

ALÉM DA AGRESSÃO, O REGISTRO PROVA DIVERSAS IRREGULARIDADES NO MOMENTO DO PARTO

Um vídeo que circula nas redes sociais vem causando revolta. Ele mostra uma mulher em trabalho de parto sendo agredida por uma médico obstetra, que a acompanhava na Maternidade Balbina Mestrinho, em Manaus, no Amazonas.

Além da agressão, em que o médico bate com as duas mãos na virilha da gestante, o registro prova diversas irregularidades no momento do parto: a paciente está completamente nua e sem o avental hospitalar específico usado em maternidades, além do médico colocar a mão em cima das partes genitais da mulher.

Segundo a denúncia, o médico de 70 anos já foi preso em 2015 na “Operação Jaleco” da Polícia Civil, que colocou na cadeia profissionais de saúde suspeitos de participação em um esquema de cobrança ilegal de cirurgias em unidades de saúde da rede pública do Amazonas — eles chegavam a cobrar entre 1 mil e 2,8 mil reais para fazerem cirurgias em hospitais públicos. O médico exigia das famílias altos valores para fazer cirurgias de cesáreas, além de abusar sexualmente das pacientes ao examiná-las na sala de repouso.


A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que tomou conhecimento do vídeo apenas na última terça (19) por meio das redes sociais. Segundo a maternidade, a família não fez denúncia na Ouvidoria na época da gravação do vídeo. A Susam está encaminhando à Procuradoria Geral do Estado o pedido de afastamento do médico ginecologista obstetra Armando Andrade Araújo. O profissional é do quadro terceirizado, contratado pelo Instituto de Ginecologia e Obstetrícia do Amazonas.


Fonte: paisefilhos.uol