Cão mumificado é encontrado 20 anos depois em árvore.

Lenhadores estão acostumados a encontrar de tudo em seu trabalho: ninhos, enxames, alimentos esquecidos por algum animal, entre muitas outras coisas que podem ser encontradas dentro do tronco de uma árvore.

Mas o que os lenhadores do sul da Geórgia (EUA) encontraram em uma árvore oca os deixou boquiabertos.

Nos anos 1980, os homens da “Georgia Kraft Corporation” estavam cortando alguns carvalhos. Depois de derrubar uma das árvores e remover a copa, eles se prepararam para carregar o tronco até o caminhão.

Mas ao fazê-lo, um dos lenhadores acidentalmente olhou para dentro do tronco da árvore oca. Lá, ele viu o corpo mumificado de um cão. O pobre animal parecia olhar diretamente para ele.


“Stuckie”, como foi chamado o cão mumificado, logo virou objeto de fascinação. Depois de alguns exames, descobriu-se que o quadrúpede já estava na árvore há muito tempo: ele era um cão de caça dos anos 1960 e provavelmente havia encontrado um esquilo no tronco oco, do qual, infelizmente, nunca mais conseguiu sair.



Em outras condições, o corpo de Stuckie já teria se decomposto e sido comido pelos pequenos animais da floresta. Porém, no tronco, ele não pôde ser alcançado. Além disso, os carvalhos contêm grandes quantidades de taninos – substâncias vegetais que também são usados para taxidermia -, que conservaram naturalmente o corpo do cachorro.

A árvore ainda protegeu o corpo da chuva e da umidade. Assim, Stuckie pôde ficar mumificado por anos.

Os lenhadores decidiram que Stuckie não deveria cair no esquecimento. Cão e tronco foram exibidos no museu “Southern Forest World”, na cidade de Waycross, onde estão até hoje.

Até hoje, todos os moradores de Waycross conhecem o pobre cão.