Ele Não Vai Muito Bem Nas Provas De Final De Ano: A Escola Envia Uma Carta Inesperada Para Este Menino Autista

Não obter boas notas na escola no final do ano pode ser desanimador tanto para os estudantes quanto para as famílias. Mas alguns professores sabem que, muitas vezes, as provas se limitam a avaliar competências específicas que têm pouco a ver com o crescimento interior de uma pessoa. Por isso os professores devem sempre encorajar os alunos, como fez a professora Ruth Clarkson…

 Ben Twist é um adolescente autista que frequenta a escola de Lansbury Bridge School & Sports College (UK).

Quando fez as provas no final do ano, os resultados não foram aqueles esperados.

Uma das professoras do menino, no entanto, quis mandar para a família uma carta na qual elencava todos os aspectos no qual Ben havia melhorado no final do ano e lembrava que os resultados obtidos não deveriam ser colocados em segundo plano em respeito aos resultados das provas.

Querido Ben,

Escrevo para te parabenizar por ter feito todos os testes SAT e pelo compromisso que você demonstrou.  […] Uma coisa que eu gostaria que você entendesse é que esses testes medem apenas uma pequena parte das suas capacidades  […]; o que te define são as numerosas competências e habilidades que esta escola leva em consideração e entre essas estão:

  • o seu talento artístico e musical;
  • a sua capacidade de trabalhar em grupo;
  • a autonomia que você está desenvolvendo;
  • a sua gentileza;
  • a capacidade de exprimir o seu ponto de vista;
  • as suas habilidades esportivas;
  • a sua capacidade de fazer novas amizades e cuidar das que já tem;
  • a consciência que você tem de si mesmo e dos progressos que está fazendo.

Tudo isso faz de você uma pessoa especial e serve a nós para avaliar os progressos que estão te transformando em um doce rapaz. Muito bem Ben, estamos orgulhosos de você.

Cordialmente,

Professora Clarkson