A grávida achou que tinha trigêmeos. Mas depois de ver isto, até o médico gritou: “É loucura!”.

Ao passarem pela gravidez, parto e pela criação complicada, Samantha e seu marido testemunharam como a vida é preciosa. Ela sabe que o futuro pode não ser fácil, mas tem a fé para passar por todas as dificuldades com amor. E a risada alegre de suas filhas em casa sempre a faz sentir que o todo o trabalho duro valeu a pena! Ao passarem pela gravidez, parto e pela criação complicada, Samantha e seu marido testemunharam como a vida é preciosa. Ela sabe que o futuro pode não ser fácil, mas tem a fé para passar por todas as dificuldades com amor. E a risada alegre de suas filhas em casa sempre a faz sentir que o todo o trabalho duro valeu a pena!

Samantha, de Taiwan, ficou feliz ao saber que estava grávida apenas um mês depois de seu casamento. Porém, a recém-casada, que agora reside nos EUA, jamais conseguiria imaginar que se tornar mãe pode ser tão eletrizante e dramático, o que a colocou em uma montanha-russa.

Na 7ª semana de gravidez, o médico ainda não conseguia encontrar o bebê na tela do ultrassom durante o exame de rotina. Samantha soube que talvez tivesse ecciese (gravidez fora do útero) e foi aconselhada a abortar. Toda sua felicidade e expectativa viraram frustração. No entanto, ela insistiu em esperar mais algumas semanas, o que acabou levando a um resultado surpreendente. Depois de um outro check up, o médico lhes disse: “Parabéns, vocês terão gêmeos!”

As semanas de espera deram ao casal uma surpresa dupla! Ambos estavam animados e soltaram um suspiro de alívio. Depois de tudo, eles decidiram mudar de médico. Mas o destino parecia não parar de surpreendê-los. Poucas semanas depois, quando contaram ao novo médico que tinham gêmeos enquanto faziam o exame pré-natal, o médico ficou sério e franziu a testa, olhando a tela do ultrassom em silêncio. Depois de discutir com os colegas, o médico anunciou: “Eles não são gêmeos, são trigêmeos!”

Samantha se recorda de se sentir feliz e assustada ao mesmo tempo quando ouviu isso. “Três bebês devem ser ok”, a futura mãe pensou. Como era uma gravidez de alto risco, a mulher foi transferida para o Lucile Parkard Children Hospital na 12ª semana de gravidez. Como se o episódio não fosse dramático o bastante, o médico sugeriu que eles fizessem uma checagem cuidadosa novamente. Ele passou 20 minutos observando os mínimos detalhes na frente da tela, e o que o casal por fim escutou foi: “Espera aí! Eu encontrei o seu quarto bebê!”

Essa é a primeira vez que sente medo de verdade. Como que os bebês estavam aparecendo um atrás do outro? O médico recomendou fortemente que ela fizesse uma redução de gravidez multifetal, um processo em que, para garantir a segurança da mãe, os quádruplos poderiam ser reduzidos a gêmeos. Os pais de Samantha sugeriram o mesmo: “Dar à luz quádruplos é sem dúvidas perigoso. Você ainda é muito jovem e terá mais chances, por que arriscar a vida por isso?”

O médico ainda disse à Samantha: “Você deveria fazer a redução. É loucura!” Depois de ouvir isso, ela não conseguiu segurar as lágrimas.

Originalmente, o médico sugeriu que ela desistisse dos dois bebês em uma placenta. Porém, no final, Samantha não abriu mão de nenhum dos filhos: “Não importa qual seja o bebê, não é justo com ele ou ela. Eu acho que devo dar a todas as vidas uma chance.” Portanto, com 4 bebês em 3 placentas, ela decidiu seguir em frente com coragem. Ela ficou no hospital por um mês inteiro, enfrentando inúmeros medicamentos e injeções para manter seus bebês.

No dia 21 de outubro de 2010, os quádruplos nasceram prematuramente com 26 semanas e via cesariana. Toda mãe provavelmente seguraria seu recém-nascido com felicidade e satisfação, mas a primeira reação de Samantha foi perguntar ao médico: “Os bebês estão realmente respirando?” Como uma mãe de quatro bebês prematuros, ela sabe que ainda tem um longo caminho a trilhar.

O casal chamou suas quatro filhas de Audrey, Emma, Natalia e Isabelle. Depois de permanecer na UTI Neonatal por várias semanas, as meninas finalmente foram para casa, uma atrás da outra. No entanto, o verdadeiro desafio estava apenas começando.


Com mais de 40 fraldas por dias, amamentações intermináveis e inúmeras noites sem dormir, a mãe estava tão sobrecarregada que nem sabia mais o que era descansar.

Além disso, as pessoas sempre ficam impressionadas ao verem as meninas fofas, mas nunca conseguem imaginar a ansiedade que os pais escondem por trás da grande família. Por serem prematuras, as quatro bebês não são apenas fisicamente menores do que as outras da sua idade, mas também sofrem de Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), o que as faz ter sérios problemas em dormir, comer, respirar e escutar.

Sempre que Samantha imagina a vida difícil com essas doenças, ela se sente culpada e triste por não poder dar corpos saudáveis às suas filhas. Seguindo a sugestão de médicos e especialistas, o casal tentou reabilitação oral, cirurgia de amígdala e medicação para ajudar as crianças.

Veja um vídeo com algumas imagens do parto e das bebês:


Ao passarem pela gravidez, parto e pela criação complicada, Samantha e seu marido testemunharam como a vida é preciosa. Ela sabe que o futuro pode não ser fácil, mas tem a fé para passar por todas as dificuldades com amor. E a risada alegre de suas filhas em casa sempre a faz sentir que o todo o trabalho duro valeu a pena!