Luisa Mell e Del. Bruno se juntam para apurar morte de cadelinha em loja do Carrefour

Luisa e Bruno foram até a loja do Carrefour em Osasco (SP) para falar com testemunhas
Essa foi uma terça-feira difícil para Luisa Mell e Del. Bruno Lima, defensores dos animais que atuam na cidade de São Paulo e redondezas. Os dois seguiram a investigação de um caso que chocou o Brasil inteiro.

Na noite da última segunda-feira foi divulgado um vídeo em que um segurança de uma loja da rede de supermercados, Carrefour, agredia com uma barra de ferro uma cadelinha que vivia nas dependências do mercado.

Todo caso tomou proporções nacional quando artistas, como Tatá Werneck, cobraram um posicionamento do Carrefour em suas redes sociais. No entanto, até o momento a rede não emitiu nenhuma nota falando sobre o caso.

Visualizar esta foto no Instagram.

Como vcs devem estar acompanhando pelas notícias, um cachorro foi espancado e morto por um funcionário dentro do @carrefourbrasil. Quando vamos entrar na página e reclamar, eles enviam respostas prontas, copiadas e coladas , dizendo que repudiam esse ato. SE REPUDIAM mesmo, sugiro que agora aproveitem essa “chance” (não sei que palavra usar aqui) para assumirem uma responsabilidade pelo ato dentro de suas empresas. Se estão tão chocados quando nos, aproveitem essa crueldade para fazerem a diferença. Comecem a ajudar ONGs que cuidam de animais abandonados. Comecem a doar alimentos para cuidar desses bichos. Parem de dar respostas prontas e sejam “humanos” pelo menos agora. Eu fico imaginando que esse cachorro poderia estar na minha casa cuidado com Todo amor , como o Nino (que teve a perna arrancada) ou a Penélope (que cegaram) ou como meus 13 gatos de rua. Existem MUITAS pessoas cuidando de animais abandonados. Mas ainda sim são muitos que precisam. E aí @carrefourbrasil ? O que vão fazer? E nós? Vamos fazer algo juntos?

Uma publicação compartilhada por Tata Werneck (@tatawerneck) em

Ativistas vão até o local do crime
Luisa Mell e o futuro Deputado, Del. Bruno de Lima, foram até o local onde ocorreu a agressão seguida de morte para conversar com testemunhas e tentar garantir que os responsáveis não saiam impune deste caso.

Confira o vídeo: