Por R$ 25 mil, você pode ser cobaia de uma fonte da juventude sanguinária

Nos Estados Unidos, 40 mil transfusões de sangue são feitas diariamente. Pessoas que passaram por cirurgias ou grandes traumas são as principais receptoras desse líquido vital. Agora, já pensou em receber o sangue de uma pessoa bem jovem apenas para ver no que vai dar? Uma nova startup norte-americana está proporcionando essa experiência.
A empresa se chama Ambrosia e está selecionando adultos que queiram se submeter a essa transfusão que daria orgulho ao Conde Drácula. De acordo com Jesse Karmazin, fundador desse negócio, a ideia é descobrir se o sangue juvenil é capaz de rejuvenescer ou retardar o envelhecimento.
Karmazin estudou medicina na Universidade de Stanford e fez estágio no Instituto Nacional Sobre o Envelhecimento; mesmo assim, ele ainda não tem licença para praticar a carreira. Isso não o impediu de fazer um estudo sobre pessoas que receberam sangue de mais jovens e de mais velhos para analisar o comportamento do corpo humano nessas duas situações. Segundo ele, as diferenças são impressionantes.

sangue

Ao acreditar que a transfusão de sangue pode ser uma terapia rejuvenescedora, Karmazin colocou seu plano em prática e está em busca de pessoas para sua experiência. Já o neurocientista Tony-Wyss, também da Universidade de Stanford, é mais cauteloso: ele coordenou um experimento semelhante com camundongos e não encontrou nenhuma evidência clínica que comprove o que Karmazin propõe.
Custo elevado
Outro detalhe é que o experimento não é voluntário: cada pessoa disposta a receber o sangue juvenil deverá desembolsar US$ 8 mil para o procedimento, o equivalente a R$ 25,6 mil! Durante 2 dias, será coletado 1,5 litro de sangue de pessoas entre 16 e 25 anos para ser injetado em quem investir essa grana por algo ainda incerto.
Apesar disso, Karmazin espera ao menos 600 inscrições de pessoas interessadas nessa suposta fórmula para a juventude. A transfusão em si será feita na clínica licenciada do médico David Wright, localizada em Monterey, na Califórnia (EUA). Segundo Karmazin, 30 pessoas já teriam passado pela experiência e relatado alguns benefícios, como tonificação muscular e aparência rejuvenescida.
Claro que tudo pode não passar de um efeito placebo, já que as pessoas esperam esse tipo de resultado. Apenas com uma amostragem maior será possível determinar se o sangue pode ser tornar uma nova “droga” antienvelhecimento. Você teria coragem de se submeter a algo parecido?

sangue2