Quem continua dormindo depois que o despertador toca é mais inteligente: é a ciência que diz!

Quantas vezes você já não ouviu aquele barulhinho chato do despertador tocando no meio de um lindo sonho, pegou o telefone e colocou na soneca para dormir mais cinco minutinhos?

Até hoje chamavam você de preguiçoso, diziam que você era dorminhoco e desaprovavam esse seu mau hábito. Mas agora você sabe o que responder: dois estudos científicos ligam a dificuldade de acordar com uma inteligência acima da norma!

É o que diz um estudo científico que põe em dúvida a naturalidade de acordar sob comando, com os ritmos da sociedade contemporânea. Você não precisa voltar muito no tempo, de fato, para descobrir que as gerações passadas, pouco antes da revolução industrial, adormeciam e acordavam de acordo com seu próprio ritmo biológico!


Quem continua a fazer “como os antigos faziam” acaba por ser uma pessoa mais serena e criativa, capaz de enfrentar os desafios do dia de forma mais eficaz que outros.

Um outro estudo vem em socorro daqueles que levam uma vida “indisciplinada”. Esta pesquisa da Universidade de Southampton teve como objetivo verificar a famosa máxima de Benjamin Franklin, que tanto oprimiu as vidas dos preguiçosos em todo o mundo: “Ir cedo para a cama e acordar cedo faz do homem mais saudável, rico e sábio”.

Investigando as vidas de mais de mil sujeitos descobriu-se que as chamadas “corujas”, isto é, aqueles que vão dormir depois das 11 da noite e acordam depois das 8, têm uma carreira mais satisfatória e uma vida mais serena em geral.

Agora você sabe o que responder para aqueles que fazem você se sentir culpado por aqueles “cinco minutinhos a mais” debaixo das cobertas!