Restaurante expulsa criança sem braços porque só podia comer com os pés

Todos nós somos diferentes, embora algumas das diferenças sejam mais evidentes do que outras. William, de 3 anos de idade, nasceu sem os membros superiores, e teve que aprender a fazer tudo com os pés. Recentemente, a criança sem braços foi alvo de preconceito num restaurante por causa da sua deficiência.

Criança discriminada por comer com os pés
O garoto foi expulso do estabelecimento em Hot Springs, Arizona, porque tinha de comer com os pés. A gerente da cadeia de restaurantes IHOP explicou à mãe, Alexis, que comer assim não era higiénico, e que a criança não podia tocar nos frascos de xarope.

A IHOP é uma empresa americana da área da restauração conhecida por servir panquecas. Chocada com a decisão da gerente do restaurante, Alexis Bancroft pediu que as pessoas fizessem um boicote aos restaurantes da marca. A mãe levou o filho ao banheiro para lavar os pés assim que chegou. Por isso, não havia nenhum problema de higiene em tocar nos alimentos ou nos produtos da mesa.

Mãe relata o sucedido nas mídias sociais
“Pela primeira vez em 3 anos, o meu menino foi discriminado porque não tem braços e porque é forçado a comer com os pés”, diz a mãe tristemente. “Perguntei à gerente se ela perguntou a todos os convidados do restaurante se eles tinham lavado as mãos antes de comer”, diz Alexis Bancroft.


Triste com a atitude do restaurante, a progenitora compartilhou a experiência no Facebook. “Como mãe que protege os seus filhos, perguntei qual era a diferença entre as mãos e os pés. A gerente disse-nos que não nos queria ofender, e que tinha trabalhado com deficientes. Ter trabalhado com deficientes não tem nada a ver com a situação do meu filho, e não significa que ela entenda a situação pela qual estava a passar”, escreveu a mulher.

“Ele tem 3 anos e faz as coisas de forma diferente, obrigada às pessoas que me apoiaram no restaurante”, acrescenta Alexis. Após o incidente, milhares de pessoas compartilharam o caso e comentaram a triste atitude da equipe do restaurante. Ao saber do sucedido, a IHOP decidiu agir, e a gerente do restaurante foi despedida.

“A IHOP e as nossas franquias não toleram discriminação. O restaurante pediu desculpas à família e manteve contato com ela para resolver o problema”, disse um dos porta-vozes da cadeia de restaurantes.

Você acha que a gerente merecia ter sido despedida? Compartilhe a sua opinião connosco nos comentários!