Vendo como a nova namorada do seu ex trata sua filha, esta mulher resolveu escrever uma carta.

Quando um casamento termina e o casal se separa, as brigas parecem ser uma constante da qual não se pode escapar. Normalmente nos deixamos depois de atingir o limite, então a mera presença do ex-marido ou ex-esposa gera irritação. Quando então há os filhos do meio, eles geralmente acabam se tornando uma arma que os pais usam para ferir um ao outro, com o resultado de agravar uma situação já difícil. Finalmente, para tornar esse quadro ainda mais complexo, vêm os novos namorados, que podem desencadear ciúmes e retaliações.

Nós dissemos que isso geralmente é o que acontece… mas nem sempre. Felizmente há famílias em que o roteiro é totalmente diferente e em que o respeito reina mesmo depois da separação. E a família Loving-Henry é uma delas.

Audrey Loving e Corey Henry conheceram-se muito jovens, aos 18 anos de idade. Eles começaram a namorar, ficaram noivos e logo ela ficou grávida. Uma linda garotinha chamada Riley veio ao mundo e agora tem 4 anos de idade.

Infelizmente, no entanto, a distância física e de caráter entre os dois foi destrutiva para o relacionamento, e eles decidiram se separar. Mamãe Audrey obteve a custódia total da criança, mas seu pai permaneceu o mais presente possível, especialmente nos finais de semana.

Com o passar do tempo, o pai Corey começou a namorar outra garota e, com o tempo, o relacionamento tornou-se mais sério. Nesse momento, a ex-mulher foi informada de que havia uma nova mulher na família, mas decidiu não reagir como muitos esperariam. De fato, ela mesma cresceu em uma família mosaico e sabe como é importante preservar a tranquilidade mental dos pequenos, sem envolvê-los nos problemas dos adultos.


Audrey imediatamente encorajou Riley a aceitar o novo membro da família, sem considerá-la uma intrusa. A menininha, tranquilizada pela atitude benevolente da mãe, ligou-se profundamente à nova parceira do pai. Audrey, portanto, queria tornar sua experiência conhecida, esperando que ela fosse um exemplo para os outros. Ela publicou uma foto adicionando uma legenda:

“Esta é minha filha com a namorada de seu pai. Elas não são tão doces? Eu sou muito grata a ela porque toda vez que minha filha vai ficar com o pai, ela a alimenta, a abraça, compra seus presentes; na prática ela se importa com ela como se fosse sua própria filha. Por que tantas mulheres agem de maneira mesquinha contra outras mulheres? Não é fácil ser mãe de uma criança que não é sua, então se algo assim acontecer com você, mantenha essa mulher por perto! Porque se você afasta uma pessoa como ela, uma daquelas mulheres más e malignas pode entrar. Elas existem! Eu as vejo todos os dias… Uma criança pode facilmente ter duas mães, porque na minha opinião, quanto mais amor ela recebe, melhor é. Nunca farei com que essa mulher se sinta uma estranha, sou muito grata a ela. Amigos divorciados, devemos crescer e nos concentrar no que é melhor para nossos filhos. Ame mais e odeie menos!”

Inútil dizer que as palavras de Audrey foram extremamente bem sucedidas, com centenas de depoimentos de pessoas que estavam experimentando a mesma coisa. Esperamos que sua experiência inspire cada vez mais pais a evitar o ódio inútil, a deixar o passado para trás e a se concentrar em seu papel, escolhendo o que é melhor para seus filhos. Parabéns a Audrey e a toda a sua linda família!